segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Estado de graça



Sá pinto vive ainda em estado de graça?
Não me parece!
Todos os treinadores estão dependentes dos resultados de cada jogo disputado,hoje mais do que nunca.A avaliação que se faz do trabalho de um treinador profissional hoje baseia-se em 2 ou 3 fatores que não são por si muito elucidativos a saber a sua imagem,o seu discurso(flash-interview) e mais um ou outro ainda menos importantes.Acima de tudo isto estão os resultados,são estes que vão dizer jogo a jogo da competência do treinador pelo menos aos olhos do grande público.
Obviamente que não é possível avaliar o desempenho de um treinador sem ter oportunidade de acompanhar e «por dentro» o seu trabalho diário.
É justo?
Contrariamente ao que se possa pensar,não é tão injusto assim porque,na verdade,todos conhecem as regras e aceitaram as mesmas.
Ricardo Sá Pinto é exatamente o mesmo treinador que foi uma lufada de ar fresco no futebol do Sporting ao suceder a Domingos,resistiu à derrota na final da taça perante a Académica mas inicia esta época já com esse handicap.Em futebol existe uma memória de elefante quando se trata de recordar inêxitos inesperados como foi o caso atrás citado.
O mau início neste campeonato está a agudizar a desconfiança em relação ao trabalho do treinador do Sporting que tem hoje a mesma imagem,o mesmo discurso..........e é o mesmo treinador.
O futuro de Sá Pinto será ditado pelos resultados tal como é o de todos os treinadores em todos os clubes.
O futebol profissional para o bem e para o mal é um meio onde se tomam decisões e não se aceita a derrota,é na realidade um exemplo de pragmatismo para outras áreas de atividade económica do nosso país.
Pura e simplesmente,é para ganhar e ponto final!


2 comentários:

  1. lufadas de ar fresco/chicotadas psicológicas ao longo da historia do futebol tiveram sempre mais de positivo,relacionados sobretudo com aspectos relacionados com a motivação. A partir desta fase é preciso mais,no caso de Sá Pinto falta experiência, foi na minha opinião lançado às feras e aceitou, como lider de uma equipa com expectativas altas e não chega só ter sido um excelente jogador. E claro que tudo depende dos resultados. Seria injusto dizer que será o culpado por si só, mas na alta esfera da bola nao se pode perder, põe em causa a tal actividade económica e outros factores, dai o pragmatismo.

    ResponderEliminar
  2. Boas José ,obrigado por comentares.E na tua opinião,o estado de graça de Sá Pinto continua ou não?

    ResponderEliminar